Crítica: A Cura (2016) - NoSet
Cinema

Crítica: A Cura (2016)

Após uma divulgação massiva do filme, inclusive com um trailer  divulgado no intervalo do Super Bowl, tivemos a oportunidade de assistir A Cura.

Sinopse: “Um ambicioso executivo é enviado para os Alpes Suíços para resgatar o CEO de sua companhia de um ‘Centro de Cura’, mas logo descobre que o local não é tão inócuo quanto parece.”

A Cura (título original: A Cure For Wellness), filme estrelado por Dane DeHaan, traz uma história longa e confusa, que ao final quase faz sentido. Esse “quase” se dá devido à tantos detalhes que aparecem durante o filme, não são devidamente explicados e acabam ficando em aberto!

Trata-se de um filme com um visual incrível e paisagens que nos deixam extasiados, como a viagem de trem de Lockhart até o local onde o CEO de sua empresa estava hospedado.

A paisagem mais importante e bonita é do ‘Centro de Cura’ ou sanatório, como é chamado no filme, que na verdade, é um castelo na Alemanha – o Hohenzollern.

O thriller do diretor Gore Verbinsk (conhecido por O Chamado (2002), Piratas do Caribe e Rango), por vezes é assustador e às vezes chega a ser cômico devido ao exagero em algumas cenas.

ALERTA DE SPOILER

A cena em que Lockhart tem seu dente arrancado foi assustadora e, mesmo assim, tiveram risadas na plateia.

Além disso, houve um erro grave de continuidade – na primeira cena, o dente dele que caiu era o canino do seu lado esquerdo, na cena da foto abaixo, o canino que caiu foi o direito.

FIM DO SPOILER

Dane DeHaan, de maneira geral, se saiu bem interpretando o executivo Lockhart, que no início do filme parece ser um personagem vazio e sem sentimentos. Porém, no decorrer deste começamos a conhecer um pouco mais a sua história (de forma rasa) e ele demonstra estar mais humano.

Mia Goth, interpreta Hannah, uma personagem muito misteriosa e que só tem sua origem explicada ao final.
O trabalho da atriz foi uma boa surpresa, tendo em vista que ela é uma mulher com 23 anos que interpretou uma menina no final da infância e início da adolescência. Mia conseguiu transmitir toda a pureza e confusão mental que sua personagem pedia!

Conclusão:

Apesar da história contada no filme ser tão longa, acredito que alguns fãs do estilo possam gostar.

1 Comentário

1 Comentário

  1. daniel brasil Configurações

    29 de maio de 2017 em 02:57

    Que erro de continuidade, o cara tava na frente do espelho quando caiu o dente e foi o direito mesmo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo