‘Como Nossos Pais’: Cotidiano serviu de inspiração para filme, diz diretora Laís Bodanzky - NoSet
Cinema

‘Como Nossos Pais’: Cotidiano serviu de inspiração para filme, diz diretora Laís Bodanzky

Em vídeo de making of, atores comentam as dificuldades e sutilezas dos relacionamentos familiares. Acertos e erros permeiam o cotidiano de qualquer família. Em vídeo de making of de “Como Nossos Pais”, os atores Maria Ribeiro, Paulo Vilhena e Clarrisse Abujamra falam das expectativas e anseios de suas personagens. A diretora Laís Bodanzky também participa, revelando que a inspiração para o filme estava bem próxima a ela, em leituras de revistas, conversas com amigos e outras ações do cotidiano.

“Como Nossos Pais” foi exibido no dia 19 de agosto, na seleção oficial do Festival de Gramado, após ter estreado no Festival de Berlim e ter levado o prêmio de público no Festival de Cinema Brasileiro de Paris. O roteiro é assinado por Laís Bodanzky e Luiz Bolognesi, e o elenco traz ainda Herson Capri, Felipe Rocha e Jorge Mautner, entre outros.

O filme é uma produção da Gullane e da Buriti Filmes em coprodução com a Globo Filmes. A distribuição é da Imovision. A estreia está marcada para 31 de agosto.

Sinopse: Rosa é uma mulher que quer ser perfeita em todas suas obrigações: como profissional, mãe, filha, esposa e amante. Quanto mais tenta acertar, mais tem a sensação de estar errando. Filha de intelectuais dos anos 70 e mãe de duas meninas pré-adolescentes, ela se vê pressionada pelas duas gerações que exigem que ela seja engajada, moderna e onipresente, uma supermulher sem falhas nem vontades próprias. Rosa vê-se submergindo em culpa e fracassos, até que em um almoço de domingo, recebe uma notícia bombástica de sua mãe. A partir desse episódio, Rosa inicia uma redescoberta de si mesma.

Ficha técnica

Elenco: Maria Ribeiro, Clarisse Abujamra, Paulo Vilhena, Felipe Rocha, Jorge Mautner, Herson Capri, Sophia Valverde e Annalara Prates

Direção: Laís Bodanzky

Roteiro: Laís Bodanzky e Luiz Bolognesi

Direção de Fotografia: Pedro J. Márquez

Direção de Arte: Rita Faustini

Montagem: Rodrigo Menecucci

Produtores: Caio Gullane, Fabiano Gullane, Debora Ivanov, Laís Bodanzky e Luiz Bolognesi

Produtor Associado: José Alvarenga Jr.

Produção: Gullane e Buriti Filmes

Coprodução: Globo Filmes

Distribuição: Imovision

A Diretora: LAÍS BODANZKY é uma renomada diretora de cinema que recebeu mais de 90 prêmios nacionais e internacionais.Seu primeiro filme de longa-metragem, o aclamado Bicho de Sete Cabeças participou da Seleção Oficial de Toronto e Locarno e venceu o prêmio de Melhor Filme em Biarritz, entre outros 45 prêmios nacionais e internacionais. Seu segundo longa, Chega de Saudade (coprodução com o Canal ARTE da França) venceu Melhor Filme no Festival Tous Écrans em Genebra e outros 20 prêmios no Brasil e no exterior. A estreia de seu terceiro filme, As Melhores Coisas do Mundo, aconteceu no Festival de Cinema de Roma. O filme ainda venceu como Melhor Filme no FICI Madrid e levou outros 18 prêmios em festivais no mundo todo.

Em 2012, Laís dirigiu um dos episódios do filme Mundo Invisível para a Mostra Internacional de São Paulo. O projeto contou com a participação de cineastas nomes como Wim Wenders, Manoel de Oliveira, Atom Egoyan, entre outros.Em 2015, dirigiu dois episódios da série PSI para a HBO. Seus próximos projetos cinematográficos são os longas Como Nossos Pais – selecionado para a Mostra Panorama Especial no 67ª Festival de Berlim – que será lançado no Brasil em agosto de 2017 e PEDRO – em fase de desenvolvimento.

Luiz Bolognesi escreveu e dirigiu o longa-metragem de animação Uma História de Amor e Fúria (2013), vencedor do prêmio Cristal de Melhor Longa Metragem em Annecy e em outros festivais ao redor do mundo. O filme foi distribuído e lançado nos cinemas em muitos países.

Como roteirista, escreveu os roteiros dos filmes Bicho de Sete Cabeças (2001), O Mundo em Duas Voltas (2006), Chega de Saudade (2007), Terra Vermelha (2008), As Melhores Coisas do Mundo (2010) e Amazônia, Planeta Verde (2014), que receberam prêmios de melhor roteiro da Academia Brasileira de Cinema, APCA (Associação Paulista dos Críticos de Arte) e nos festivais de Brasília e Recife.

Em 2015, desenvolveu os roteiros dos longas-metragens: Elis, Bingo: O Rei das Manhãs e Como Nossos Pais – selecionado para a Mostra Panorama Especial no 67ª Festival de Berlim e com estreia no Brasil em 31 de agosto.

Como diretor, foi responsável pelo curta Pedro e o Senhor (1995) e co-dirigiu os documentários Cine Mambembe, O Cinema Descobre o Brasil (1999), A Guerra dos Paulistas (2002), Lutas.doc (2011), Educação.doc (2014) e Juventude Conectada (2015). Atualmente está em finalização do seu novo filme: Ex-pajé.

Desde 1996, ao lado da também cineasta Laís Bodanzky, Bolognesi coordenou os projetos de cinema itinerante e oficinas audiovisuais Cine Mambembe e Cine Tela Brasil, promovendo o encontro entre cinema e educação nas comunidades de baixa renda. O projeto já levou mais de 1.3 milhões de pessoas ao cinema em 759 bairros de todo o Brasil e produziu mais de 450 curtas de jovens moradores de periferias.

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo