Chadwick Boseman: A Representatividade do Adeus. - NoSet
Cinema

Chadwick Boseman: A Representatividade do Adeus.

Salve Nosetmaníacos, eu sou o Marcelo Moura e hoje nos despedimos de Chadwick Boseman, nosso eterno Pantera Negra, que assim como Reeve (Superman) e Ledger (Coringa), nos deixou de maneira abrupta na noite de sexta feira, dia 28 de agosto de 2020.

Boseman criou com suas atuações um efeito representativo com seu Pantera Negra e seu grito de guerra o Wakanda Forever, sendo o primeiro herói étnico a ter uma aceitação e respeito em todo mundo e reverenciado como um ícone social lutando por igualdade social, demonstrou o caminho para fazermos o melhor de nós mesmos pelo próximo.

T´Challa não foi o primeiro personagem negro das HQs adaptado em Live Action, já tivemos Blade de Snipes entre outros, mas foi primeiro personagem de HQ rei de uma nação que mais envolveu gerações com conceitos comuns a toda sociedade, tornando Boseman embaixador de Wakanda por todo o planeta.

Foi no programa de Jimmy Fallon que vi toda grandeza do ator e sua humildade, assim como sua importante participação nos eventos de rua do Black People Matter, e espero sinceramente que assim como Ledger, as academias do Globo de Ouro e Oscar entendam a importância de pelo menos indicar Boseman como ator coadjuvante em sua incrível atuação no filme de Spike Lee, Da 5 Bloods, porque o ator marcou e uniu fãs de diversas classes sociais em um único proposito de igualdade social.

Chadwick Aaron Boseman, nascido em Anderson, 29 de novembro de 1976 e falecido em Los Angeles, 28 de agosto de 2020, foi um ator, diretor e roteirista americano mais conhecido por seus retratos de figuras históricas da vida real, como Jackie Robinson em 42 (2013), James Brown em Get on Up (2014) e Thurgood Marshall em Marshall (2017), e por seu retrato como o super-herói Pantera Negra nos filmes do Universo Cinematográfico Marvel, principalmente em Black Panther (2018), Captain America: Civil War (2016), Avengers: Infinity War (2018) e Avengers: Endgame (2019). Ele também estrelou filmes como 21 Bridges (2019) e Da 5 Bloods (2020). Boseman morreu aos 42 anos após uma batalha de quatro anos contra o câncer colorretal.

Sua mãe era uma enfermeira e seu pai trabalhava em uma fábrica de têxteis, mantendo um negócio de estofados também. Boseman se formou em T. L. Hanna High School em 1995. Em seu primeiro ano, escreveu sua primeira peça, Crossroads, e encenou na escola depois que um colega de classe foi baleado e morto. Estudou na Universidade Howard em Washington, D.C., formando-se em 2000 com um bacharel em artes plásticas na direção. Um de seus professores foi Phylicia Rashad, que se tornou sua mentora. Ajudou a arrecadar fundos para que Boseman e alguns colegas de classe pudessem participar do Oxford Mid-Summer Programa da British American Drama Academy em Londres, ao qual eles foram aceitos.

SetCast 237 (Extra) – Até breve Chadwick Boseman

Boseman queria escrever e dirigir, e inicialmente começou a estudar a atuação para aprender a se relacionar com atores. Depois que ele voltou para os EUA se formou na Academia Digital de Cinema de Nova York (British American Dramatic Academy). Morava no Brooklyn no início de sua carreira e trabalhou como instrutor de drama no Schomburg Junior Scholars Program, alojado no Centro Schomburg de Pesquisa em Cultura Negra em Harlem, Nova York. Em 2008, mudou-se para Los Angeles para prosseguir uma carreira de ator.

Obteve seu primeiro papel de televisão em 2003, em um episódio de Third Watch. Seu trabalho inicial incluiu episódios da série Law & Order, CSI: NY e ER. Também continuou a escrever peças, com seu roteiro para Deep Azure realizado na Congo Square Theatre Company em Chicago, Illinois; foi nomeado para o Prêmio Joseph Jefferson de 2006 para novos trabalhos. Em 2008, desempenhou um papel recorrente na série de televisão Lincoln Heights e apareceu em seu primeiro longa-metragem, The Express. Ele conseguiu um papel regular em 2010 em outra série de televisão, Persons Unknown.

Boseman desempenhou seu primeiro papel principal no 2013 filme 42, em que ele retratou o pioneiro do basebol e estrela Jackie Robinson. Ele estava dirigindo uma peça off-Broadway em East Village quando fez uma audição para o papel.

Considerou desistir de atuar e prosseguir sedo um diretor em tempo integral na época. Cerca de 25 outros atores haviam sido seriamente considerados para o papel, mas o diretor Brian Helgeland gostou da bravura de Boseman e lançou-o depois que ele fez a audição duas vezes. Em 2013, Boseman também estrelou o filme indie The Kill Hole, que foi lançado nos cinemas algumas semanas antes de 42.

Em 2014, Boseman apareceu junto a Kevin Costner em Draft Day, no qual ele jogou uma perspectiva preliminar da NFL. Mais tarde naquele ano, ele estrelou como James Brown em Get on Up. Em 2016, ele estrelou como Tot, uma divindade da mitologia egípcia, em Deuses do Egito.

Boseman foi criado cristão. Foi batizado e fazia parte de um coro da igreja e grupo juvenil. Seu ex-pastor disse que ele ainda mantinha sua fé. Boseman afirmou que ele rezou para ser o Pantera Negra antes de ser confirmado como a personagem no Universo Cinematográfico Marvel. Chadwick Boseman morreu no dia 28 de agosto de 2020 em sua casa na região de Los Angeles devido a complicações relacionadas a um câncer colorretal. O ator lutava contra o câncer desde 2016 e, desse ano para cá, o câncer evoluiu para o estágio 4. A morte foi confirmada pela família do ator.

Gostou da matéria, é só seguir o meu instagram para acompanhar lançamentos e opinar: https://www.instagram.com/marcelo.moura.1253/

Topo