Ben Hur - 1959 - NoSet
Cinema

Ben Hur – 1959

Ben Hurb-h-stones_horiz_a

Ontem teve a estreia do remake de Ben Hur, mas hoje vou falar do clássico de 1959. Baseando na obra literária Ben Hur: Um conto de Cristo de Lew Wallace de 1880. Wallacce foi um General que lutou na Guerra Civil Americana. Direção William Wyler, produzido por Sam Zimbalist, roteiro Karl Tunberg e estrelado por Charlton Heston, Jack Hawkins, Haya Harareet, Stephen Boyd, Hugh Griffith.

Ben Hur foi lançado 18 de novembro de 1959, teve duração de 212 minutos, com um orçamento de US$ 15,2 milhões de euros e a bilheteria de US$ 146,9 milhões em todo mundo, teve o maior orçamento da sua época, a figurinista Elizabeth Haffenden supervisionou uma equipe de 100 fabricantes de roupa para fazer as fantasias e uma oficina com mais de 200 artistas, empregados e operários.

Foram utilizado mais de 200 camelos e 2.500 cavalos para as cenas do filme. A batalha naval foi filmado usando miniaturas em um enorme tanque da produtora MGM, em Culver City, Califórnia. A corrida de bigas de nove minutos tornou-se uma das sequências mais famosas do cinema, a trilha sonora, composta e regida por Miklós Rózsa, é a mais longa já composta para um filme e foi muito influente no cinema.

O filme de 1959 foi um “reboot” do filme mudo de 1925, que até hoje esta no topo de estatuetas ganhadas no Oscar. Foi o filme de maior bilheteria de 1959, e o segundo maior de bilheteria até então, junto com o filme da mesma época O Vento Levou. Foi o recordista de Oscar até 1997, ganhando 11 estatuetas do total de 12 indicações, incluindo Melhor Filme, Melhor Diretor (Wyler), Melhor Ator em um papel principal (Heston), Melhor Ator Coadjuvante (Griffith) e Melhor Fotografia – Color (Surtees), uma realização que não foi igualada até chegar o filme de James Cameron com Titanic (1997) levando 14 estatuetas e depois por o Senhor dos Anéis: o Retorno do Rei (2003) com 17 estatuetas.

Ben-Hur também ganhou três Globos de Ouro, incluindo Melhor Filme – Drama, Melhor Diretor e Melhor Ator Coadjuvante. Hoje, Ben-Hur é amplamente considerado como um dos maiores filmes já feitos, e em 1998, o American Film Institute classificou-o o melhor filme americano 72 e o segundo filme épico melhor americano no do AFI 10 Top 10. Em 2004, a National Film Preservation Board selecionado Ben-Hur para a preservação pelo National Film Registry da Biblioteca do Congresso por ser um filme “culturalmente, historicamente ou esteticamente significativa.”

Charlton Heston interpreta Judah Ben-Hur, durante o desfile para o novo governador da Judéia, Valério Grato, azulejos soltos caem do telhado da casa de Judah. Gratus é jogado de seu cavalo Spooked e quase morre, embora Messala sabendo que o acontecido foi um acidente, ele condena Judah para as galeas e aprisiona Miriam sua mãe e Tirza sua irmã. Ao punir um amigo conhecido e proeminente cidadão, ele espera para intimidar a população judaica. Judah jura se vingar.

Depois de três anos como um escravo nas galeas, Judah é atribuído ao carro-chefe do Cônsul Romano Quintus Arrius (Jack Hawkins), que foi acusado de destruir uma frota de piratas macedónios. Arrius admira de determinação e auto-disciplina Judá e se oferece para treiná-lo como um gladiador ou cocheiro. Judah declina a oferta, declarando que Deus vai ajudá-lo em sua busca por vingança. Quando a frota romana encontra os macedônios, Arrius ordena todos os remadores exceto Judah a ser acorrentado a seus remos. Galley Arrius é abalroado e afundado, mas Judah ajuda outros prisioneiros e resgata Arrius. Em desespero, Arrius acredita erroneamente, a batalha terminou em derrota e tenta reparar na maneira romana “cair sobre sua espada”, mas Judah o impede. Eles são resgatados e Arrius é creditado com a vitória da frota romana.

Arrius faz uma petição com sucesso ao imperador Tibério (George Relph) para libertar Judah, e adota como filho. Mais um ano passa. Rico novamente, Judah aprende maneiras romanas e torna-se um cocheiro campeão, mas ainda anseia por sua família e pátria.

A caminho da Judéia Judah encontra Hugh Griffith como árabe Sheik Ilderim. O sheik já ouviu falar de proezas de Judah como um cocheiro, e pede-lhe para conduzir seus cavalos, em uma corrida antes do novo governador da Judéia Pôncio Pilatos (Frank Thring). Judah declina, mesmo depois que ele descobre que Messala também vai competir.lizaheston5

Judah retorna para sua casa em Jerusalém. Ele encontra Esther, e descobre que seu casamento arranjado não ocorreu e que ela ainda está apaixonada por ele. Ele visita Messala e exige a sua mãe e a liberdade da irmã. Os romanos descobrir que Miriam e Tirza contraiu lepra na prisão, e expulsá-los da cidade. As mulheres implorar Esther para esconder sua condição de Judah para que ele possa se lembrar deles como eram antes, então ela diz a ele que eles morreram. É então que ele muda de ideia e decide buscar vingança sobre Messala, competindo contra ele na corrida de bigas.

Durante a corrida de bigas, Messala dirige uma carruagem grega com lâminas nos cubos rasgar bigas concorrentes. Ele tenta destruir a biga de Judah, mas destrói a sua própria biga. Messala é fatalmente ferido, enquanto Judah ganha a corrida, antes de morrer, Messala diz Judah que “a corrida ainda não acabou” e que ele pode encontrar sua família “, no Vale dos Leprosos, se você pode reconhecê-las.” Judah visita a colônia de leprosos nas proximidades, onde ele vê sua mãe e irmã.

Ao encontrar o governo romano e culpa-lo pelo destino de sua família, Judah rejeita seu patrimônio e cidadania romana. Ao saber que Tirza está morrendo, Judah e Esther levam ela e Miriam para ver Jesus Cristo (Claude Heater), mas o julgamento de Jesus perante Pôncio Pilatos começou. Judah testemunha da crucificação de Jesus, e Miriam e Tirza são milagrosamente curado durante a tempestade após a crucificação. Judá declara: “E eu senti Sua voz tirar a espada da minha mão.”

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo