Bad Boys: A Franquia de 2008 a 2020 - NoSet
Cinema

Bad Boys: A Franquia de 2008 a 2020

Salve Nosetmaníacos, eu sou o Marcelo Moura e hoje vamos falar da franquia Bad Boys, uma série de filmes de comédia de ação criados por George Gallo, estrelado por Will Smith e Martin Lawrence, como dois detetives do Departamento de Polícia de Miami, conhecidos como Mike Lowrey e Marcus Burnett.

Os Bad Boys (1995): Onde tudo Começou.

Direção Michael Bay, produção Don Simpson e Jerry Bruckheimer, roteiro Michael Barrie, Jim Mulholland e Doug Richardson, elenco Martin Lawrence, Will Smith, Téa Leoni, Tchéky Karyo, Theresa Randle e Joe Pantoliano, distribuição Columbia Pictures. Lançamento nos Estados Unidos em 7 de Abril de 1995 e no Brasil em 28 de Julho de 1995. Com um orçamento de apenas US$ 19 milhões e uma ótima receita de US$ 142 milhões, Os Bad Boys é um filme americano de ação-comédia, muito parecido com outros estilos como a franquia de sucesso  cinematográfica de Máquina Mortífera, que também teve uma série de TV.

Sinopse: Marcus Burnett (Martin Lawrence) e Mike Lowrey (Will Smith) são dois policiais do departamento de polícia de Miami que devem se juntar para recuperar um carregamento de drogas perdido. Eles contarão com a ajuda de uma testemunha, Julie, porém para isso um terá que se passar pela identidade do outro. Um carregamento de heroína confiscada, avaliada em 100 milhões de dólares, foi simplesmente roubado do depósito

Crítica: Michael Bay é um dos diretores de maior sucesso de bilheteria e explosões de todos os tempos do cinema mundial, e mesmo não tendo reconhecimento da crítica e premiações, foi o diretor de uma lista de filmes como Bad Boys (1995), The Rock (1996), Armageddon (1998), Pearl Harbor (2001), Bad Boys II (2003), Transformers (2007), Transformers: Revenge of the Fallen (2009), Transformers: Dark of the Moon (2011), Transformers: Age of Extinction (2014) e Transformers: The Last Knight (2017). Bay não gostou do roteiro e envolveu Smith e Lawrence em discussões sobre como o diálogo e as cenas poderiam melhorar. Ele freqüentemente permitia que eles improvisassem enquanto as câmeras rodavam. Ele secretamente disse a Smith para chamar Lawrence de cadela antes da cena do carro. O conjunto “duas putas no mar” foi improvisado, assim como o comentário de Lawrence quando Leoni o chamou de gay. A cena na loja de conveniência, onde o funcionário coloca uma arma nas cabeças e gritos de Burnett e Lowrey, dizendo-lhes para “Congelar, cadelas mãe!”, Também é improvisado. Eles vieram com: “Não, você congela, cadela! Agora, de volta, abaixe a arma e me pegar um pacote de Tropical Fruit Bubbalicious”. “E alguns Skittles.” De acordo com Bay no comentário do DVD, no final do filme, quando Mike e Marcus estão se recuperando, Mike diz “Eu te amo, cara”. Bay alega que Smith se recusou a dizer a frase, fazendo com que o diretor e o ator discutissem. Bay queria que Smith dissesse a frase ao sentir que resumia a amizade entre os policiais. Depois que a discussão durou metade das filmagens do dia e boa parte da equipe estava pronta para fazer as malas, Bay, que estava de saco cheio, mandou Smith fazer o que quisesse, depois do qual Smith mudou de ideia e concordou em dizer a linha.

O filme teve sucesso comercial, arrecadando US$ 142 milhões em todo o mundo, US$ 66 milhões na América do Norte e US $ 76 milhões no exterior. No entanto, a recepção crítica foi geralmente mista. O site Rotten Tomatoes informou que 42% dos 48 críticos da amostra deram ao filme críticas positivas e que obteve uma média de classificação de 4.9 de 10 com o consenso: “As Estrelas de Bad Boys, Will Smith e Martin Lawrence, têm química agradável; infelizmente, o diretor Michael Bay muitas vezes se afoga com peças e explosões no lugar de uma história real “. A maioria das críticas se concentrou no fato de que, apesar da produção do filme e da habilidade das estrelas, o roteiro não divergia do enredo genérico de um filme de gênero, optando pelo uso repetido de cenas estereotipadas. Roger Ebert, em sua análise do filme At the Movies, observou que apesar da abordagem altamente enérgica dos dois atores principais e do estilo visual do filme, seus talentos de atuação eram principalmente “vinho novo em garrafas velhas”. Ele ilustrou que muitos dos elementos apresentados no filme, incluindo tanto o enredo quanto os personagens, foram reciclados de outros filmes, particularmente os da série Lethal Weapon e Beverly Hills Cop, recorrentes em clichês policiais e longas cenas de ação. Ao descrever a cena de ação do gênero cop-buddy pelo filme, Ebert observou: “Sempre que um filme como este começa a se arrastar, há sempre uma solução infalível; faça uma perseguição de carro e depois exploda algo realmente bom”.

Gene Siskel, em sua avaliação do filme, disse que perdeu o interesse pelo filme após sua introdução devido à abordagem muito estereotipada, e repetiu as críticas de Roger Ebert de que os talentos dos atores principais foram desperdiçados; sugerindo que a produtora não gastasse tempo significativo produzindo um roteiro adequado para seus talentos. Bad Boys foi lançado em DVD em 27 de junho de 2000. Um lançamento em Blu-ray foi lfeito em 1 de junho de 2010. Bad Boys foi lançado em um pacote de dois filmes que inclui Bad Boys II em Ultra HD Blu-ray em 4 de setembro , 2018.

Bad Boys II (2003)

Direção Michael Bay, produção Jerry Bruckheimer, roteiro Ron Shelton, Jerry Stahl, Marianne Wibberley, Cormac Wibberley e Ron Shelton, elenco Martin Lawrence, Will Smith, Jordi Mollà, Gabrielle Union, Peter Stormare, Theresa Randle, Joe Pantoliano, Ivelin Giro e Dee Bradley Baker. Companhia produtora Don Simpson/Jerry Bruckheimer Films, distribuição Columbia Pictures. Lançamento nos Estados Unidos em 18 de julho de 2003 e no Brasil em 19 de setembro de 2003, Com o dobro do orçamento em US$ 130 milhões e o mesmo dobro na bilheteria mundial de US$ 274 milhões. Bad Boys II é um filme americano de ação-comédia e conta com os atores Martin Lawrence e Will Smith de volta aos papéis principais. Este que é a sequência do filme de 1995 de grande repercussão internacional Bad Boys.

Sinopse: Os detetives de narcóticos Mike Lowrey (Smith) e Marcus Burnett (Lawrence) foram escolhidos para uma tarefa de alta tecnologia na investigação do tráfico de ecstasy em Miami. Os inquéritos inadvertidamente os levam para uma conspiração maior a um traficante, que se auto nomeia Johnny Tapia (Jordi Mollà) cujas ambições de tomar conta da cidade iniciarão uma guerra de quadrilhas. Mas a amizade e a relação profissional entre Mike e Marcus ficam abaladas quando Mike começa a gostar de Syd (Gabrielle Union), irmã de Marcus. A menos que eles consigam separar a vida pessoal da profissional, a dupla corre perigo e arrisca a vida de Syd no processo.

Crítica: Bad Boys II teve uma recepção desfavorável por parte da crítica especializada. Com tomatometer de 26% em base de 164 críticas, o Rotten Tomatoes publicou um consenso: “Duas horas e meia de explosões sem graça”. Tem 79% de aprovação, por parte da audiência, usada para calcular a recepção do público a partir de votos dos usuários do site. Roger Ebert, do Chicago Sun-Times, deu ao filme uma de quatro possíveis estrelas, especialmente ofendido por uma cena envolvendo um adolescente e o uso da palavra “mano”, dizendo: “A crueldade desnecessária dessa cena me tirou do sério.” O filme e a mente de seus criadores. O que eles estavam pensando? Eles perderam tanto o contato com a natureza humana que eles acham que o público vai gostar dessa cena? ”

Em um episódio de At the Movies com Ebert & Roeper , o crítico de cinema Richard Roeper nomeou Bad Boys II como o pior filme de 2003.James Berardinelli do ReelViews foi ainda mais negativo sobre o filme, classificando-o como uma estrela de quatro e afirmando: ” Bad Boys II não é apenas ruim, é uma violação catastrófica de todos os aspectos do cinema que eu como crítico de cinema ” Entre as críticas mais positivas, estava a crítica do Seattle Post-Intelligencer, Ellen A. Kim, que escreveu que o filme era “divertido sem pensar. Se você gosta desse tipo de filme, é claro”. O filme também foi elogiado por alguns críticos e espectadores por suas seqüências de ação habilmente manipuladas e efeitos visuais.  O filme foi um modesto sucesso financeiro totalizando US $ 274 milhões em todo o mundo contra um orçamento de US$ 130 milhões, quase o dobro do valor bruto do filme original.

No 2004 MTV Movie Awards o filme foi indicado para “Melhor Sequência de Ação” para a perseguição inter-costeira e “Melhor Equipe On-Screen” e foi indicado no 2º Annual Visual Effects Society Awards (VES) por “Efeitos Visuais de Apoio Excepcionais em um Filme”.

Bad Boys for Life (2020)

Direção Adil El Arbi e Bilall Fallah, produção Jerry Bruckheimer, Will Smith e Doug Belgrad, produção executiva Chad Oman, Barry Waldman, Mike Stenson e James Lassiter, roteiro Chris Bremner, Peter Craig e Joe Carnahan, história Peter Craig e Joe Carnahan, elenco Will Smith, Martin Lawrence, Vanessa Hudgens, Alexander Ludwig, Joe Pantoliano, Charles Melton, Paola Núñez, Kate del Castillo e Nicky Jam. Companhias produtoras Columbia Pictures, 2.0 Entertainment, Don Simpson/Jerry Bruckheimer Films e Overbrook Entertainment, distribuição Sony Pictures Releasing. Com um orçamento de US$ 90 milhões e uma receita mundial de US$ 420 milhões, Bad Boys Para Sempre é um filme americano sendo o terceiro filme da franquia desde o seu último lançamento, Bad Boys II (2003) e estrelado pelos atores da primeira franquia Bad Boys (1995), Will Smith, Martin Lawrence e Joe Pantoliano, reprisando os respectivos personagens Mike Lowrey, Marcus Burnett e Conrad Howard.

Sinopse: Os policiais Mike Lowery e Marcus Burnett se juntam para derrubar o líder de um cartel de drogas em Miami. A recém-criada equipe de elite do departamento de polícia de Miami, ao lado de Mike e Marcus, enfrenta o implacável Armando Armas.

Crítica: Poucas são as atores que tem a oportunidade de criar um personagem em filmes de ação que pode cair no gosto público, envelhecer, amadurecer e ainda assim, arrecadar uma ótima bilheteria. Casos como Buce Willis (Duro de Matar) e Sly (Rocky e Creed) são exceções no mundo cinematográfico e parece que Will Smith acertou em cheio no terceiro filme de sua franquia Bad Boys. A série sempre me lembrou, de maneira positiva, outra ótima franquia dos cinemas  chamada Maquina Mortífera de 1987 do mega dirtor Richard Donner (Superman), que não se baseia na atuação do elenco, mas simplesmente no carisma e amizade entre os policiais amalucados Martin Riggs (Mel Gison) e Roger Mutaugh (Danny Glover), além de sempre dezenas de explosões e cenas incríveis de tiroteiro.

Bad Boys Para Sempre acerta em toda a sua fórmula, com a direção dos novatos Adil El Arbi e Bilall Fallah ao invés de Michael Bay, a dupla nos entrega um filme maduro e adulto, dosando bem as piadas juvenis com a fragilidade da idade e a aposentadoria chegando para os policiais que agora não tem mais a agilidade de sempre.  Will Smith como Detetive Michael Eugene “Mike” Lowrey está na sua zona de conforto, mas atua de maneira convincente, lutando para superar a idade contra um inimigo com metade da sua e ainda parecer um policial útil a corporação, daqueles que não aceitam os limites corporativos. Martin Lawrence como Detetive Marcus Miles Burnett é o lado comédia agora assumidamente da franquia, não participando diretamente das cenas de ação e se preocupando mais com sua família. Posso facilmente dizer que prefiro Lawrence aqui que na sua franquia de comédia policial Sessão da tarde Vovozona. Existem duas piadas no filme sobre as atuações de Will em Esquadrão Suicida e Martin em Vovozona, mas tem que ser rápido para entender. A novidade na série é do ator Alexander Ludwig co Dorn (Bjorn de Vikings). Ludwig faz quase um Clark Kent da série que você fica esperando se transformar no Superman.  Dos vilões não espere muito de Kate del Castillo como Isabel Aretas ou Jacob Scipio como Armando Aretas, são apenas muletas para segurar a atuação e as cenas frenéticas do filme.  Outro ponto legal é a aparição de Michael Bay como o MC do casamento. Bad Boys Para Sempre aparentemente não termina aqui, mas uma cena pós crédito dá a entender que termos, ou um Spin Off da franquia, ou mesmo um quarto filme. Para terminar gostaria de citar uma cena hilária onde a dupla Lawrence e Smith vão apostar uma corrida, seu capitão Howard, do ótimo ator Joe Pantoliano (Matrix) pergunta por que se chamam ainda Bad “Boys”, já que a idade chegou.

Curiosidades: A continuação tem 77% de aprovação no site Rotten Tomatoes com o consenso de: “Carregado de ação e uma dupla porção de carisma de protagonista, Bad Boys para Sempre revigora essa franquia há muito adormecida, aposentando com força total seus pontos fortes”. O crítico de cinema Márcio Sallem citou que “Com uma maturidade que, confesso, não esperava encontrar a esta altura da franquia, “Bad Boys para Sempre” comprova não ser difícil bolar uma comédia de ação ágil, empolgante, divertida e bem menos inconseqüente do que foi um dia, sem abrir mão de que, no centro, não estejam meros avatares de videogame, mas seres humanos sujeitos a alegrias e tristezas que precisam ser retratadas e sentidas por nós para dar sentido ao nosso investimento”. Após o sucesso de bilheteria do filme no fim de semana de abertura, a Sony anunciou planos para uma quarto filme, com Chris Bremner retornando para escrever o roteiro.

Gostou da matéria, é só seguir o meu instagram para acompanhar lançamentos e opinar: https://www.instagram.com/marcelo.moura.1253/

 

Topo