Escreva tuas impressões a lápis! - NoSet
Autoral

Escreva tuas impressões a lápis!

Seja sereno, sempre, mesmo quando a tentação de uma opinião pronta bater à porta de sua mente ou tentar seduzir seu coração… dê um tempo, em todas as situações, não emita juízos, nem para os outros, nem para você mesmo… espere… espere muito, resista ao imediatismo, à aparência, à precipitação… coma um saco de sal… se não junto, coma sozinho, e construa nesta demora boas coisas pra pensar, pra acreditar, pra querer.

Equilibre suas emoções… não deixe que elas te confundam, seja fleumático, mesmo que sua personalidade te peça um sorriso largo, um abraço forte, um grito emocionado… controle-se… não se iluda por nada, deixe que a noite te faça compreender melhor o dia e que o dia te reorganize novamente a cada manhã… entenda as coisas com paciência, não tenha pressa de nada, nem do que é urgente… só se isso valer a vida, então, só então, arrisque… haja, reaja.

Não dê crédito totalmente, nem duvide de forma radical… aguarde… construa suas impressões como se constrói uma casa… cave buracos, carregue pedras, assente tijolos… alicerce seus conceitos antes de confiar sua vida a eles.

Escreva suas impressões a lápis. Não afirme nada até gastar um tempo pensando… não julgue ninguém antes de um ciclo inteiro… não defenda ninguém sem antes olhar em seus olhos, e nem acuse sem entender seu coração. Acalme-se antes de falar… melhor, acalme-se antes de pensar… pense bem… sem tendências, sem conceitos e, principalmente, sem preconceitos… treine seu íntimo de forma imparcial… livre-se das estradas prontas… reinvente antigos caminhos… ouse.

Seja pacífico com os briguentos e brigue com pessoas muito pacíficas… seja um instrumento de equilíbrio… não permita que nada penda para um só lado… faça contrapeso se for preciso… procure viver de forma mais leve, mesmo quando tiver que carregar pesos insuportáveis… procure ser mais denso quando tudo estiver muito fácil… aprenda a ir e a vir, não se permita parar… aprenda a se manter em movimento, dance.

Experimente coisas diferentes… mesmo que não goste, experimente assim mesmo. Aprenda que o gosto e a beleza são muito amplos para serem qualificados… não existe um padrão só para eles, não existe um padrão só para a bondade, para a felicidade, para o certo e o errado… existem muitos olhos olhando para um só ponto e várias mentes refletindo uma só imagem… respeite.

Seja tolerante, mas repreenda… repreenda, mas seja bondoso. Não perca a emoção das coisas… não perca a paz, se for possível… não brigue sem um motivo muito grande. Doe-se, comprometa-se, chore com os que choram. Aprenda a não se sentir muito mais do que os outros, mas não desacredite de si mesmo… equilibre-se numa crítica madura sobre quem você é, o que você acredita ser e o que as pessoas dizem que você é. Duvide de você… coloque-se sempre em suspeita. Ria de si e permita que outros façam isto também.

Seja consciente de sua inconstância, de seu estado interminado, de sua complexidade e de que a vida é sempre um caminho, uma busca, onde todos somos parte, processo, construção e emoção.

Livre-se da vaidade, emancipe-se da soberba, seja leve, seja livre, seja apenas você.

Salvar

Salvar

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo