A ti, Mulher... - NoSet
Autoral

A ti, Mulher…

Por: Franz Lima.

A mulher é uma dádiva em sua essência. Ela nasce, cresce, gera, nutre, cuida e acompanha. Ela ampara quem a ama, mesmo que a custa de sua própria sanidade. Ela chora em silêncio e ama como criatura alguma na Terra é capaz.

Mas nem sempre damos o devido valor. Mães, namoradas, amigas, esposas, amantes, avós, companheiras… todas têm seus momentos de abandono. Todas sofrem o esquecimento provocado por um mundo insano em informações, cobranças e desperdício de tempo. Todas sofrem por oferecerem o máximo e receberem tão pouco. Mas elas são fortes e não deixam que a tristeza que sentem seja passada àqueles que amam. Afinal, são mulheres.

O tempo cobra cada decisão dela com mais intensidade. Quando ela ama, o calor desse sentimento se espalha por onde passa. Quando se decepciona, pouco percebemos, pois a dor é armazenada em seu peito para, na solidão, chorar em silêncio.

A mulher é uma dádiva que nos abraça, ensina e acalenta. A mulher cede a própria vida em prol dos entes queridos, pois essa é sua natureza. Ah, a própria natureza é feminina em sua essência e, por tal, sofre e segue nos amparando e protegendo. Nós, filhos do mundo, pouco valorizamos tamanha demonstração de paixão, já que é “normal” receber isso dela.

Normal, eu diria, é algo incomum na existência de uma mulher. Ela sempre é mais do que os homens em tudo, uma vez que a intensidade é feminina, pode conferir no dicionário.

Feminina também é a magia de ter uma mulher em nossa vida. Feminina é a atitude de secar as lágrimas, enquanto as próprias são contidas. Feminina é a Terra que insiste em nos alojar e alimentar, mesmo diante de tanta barbárie e maldade. Sim, a barbárie e a maldade são femininas em gênero, porém elas refletem atitudes e sentimentos puramente humanos.

Hoje é o dia da mulher. Internacional, nacional, regional, local e… presencial. Cada um de nós tem uma mulher para homenagear, seja ela presente ou já apenas viva em nossas memórias. Pena que só reservaram um único dia para destacar essa criatura que tanto precisa de amor. Não seria melhor darmos a atenção e o amor que ela tanto precisa em todos os dias de nossas vidas? Sim, pena que o tempo e os afazeres só nos fazem prestar o respeito devido em pequenos momentos do ano. Ela aniversaria, ela obtém sucesso em algo, ela segue em sua jornada. Nós, novamente, contemplamos tudo isso e deixamos para um depois que nunca chega. Um dia, dizemos, daremos a ela o que merece.

Quem dera esse dia fosse ininterrupto. Quem dera pudéssemos olhar nos olhos da mulher amada e lhe dizer, sem temor ou vergonha, “eu te amo”. E não se trata de simples palavras. O amor expresso nessas palavras deveria ser tão forte que ela sentiria que estávamos lhe devolvendo uma pequena parcela de tudo que ela sempre ofertou, deu e se sacrificou.

A mulher é uma dádiva que merece ser celebrada. Não espere perdê-la para verbalizar isso. Dê um primeiro passo e confesse: mulher, eu sempre a amarei. Ser grato é o melhor presente que ela pode receber. Ser honesto é o melhor presente que ela pode receber. Estar presente é o melhor presente que ela pode receber.

Que todos os dias sejam seus. Que todo o nosso amor a atinja e a cubra com a ternura que sempre encontramos em sua palavra e seu olhar.

Você é especial e nada do que eu escreva estará a sua altura. Mas certamente é um bom começo…

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo